Finalmente! (ou “O reclamão”)

Favor não reclamar! Isso eu mesmo faço!!!

Vi meus últimos posts sobre tradução e cheguei a uma conclusão bem simples: nossa, como eu reclamo! Tudo bem que todas as reclamações foram justificadas e, pelo tom daquilo que escrevi, eu estava numa maré de azar danada. Pegando trabalhos que não compensaram a dor de cabeça de tanta pesquisa, mudança e correção de coisas que deviam chegar muito melhores nas mãos do preparador.

Por isso, FINALMENTE, eu venho aqui para dizer que hoje estou bem satisfeito. Além de ter na fila de traduções dois livros deliciosos, estou preparando um livro atualmente que merece palmas. Não posso dizer o nome do livro, mas não deixarei de falar o nome da tradutora que me deixou tão satisfeito e esperançoso: Claudia Abeling. Tradutora do alemão, seu texto é bastante fluido, consegue manter a poesia onde é necessário e seguir os caminhos que a autora do livro percorreu, sem deixar o livro com aquela… “cara de tradução”. Com certeza, o livro não foi tarefa tranquila, autora bastante experimental, com uma prosa ríspida, mas ao mesmo tempo poética, um mergulho profundo na alma humana e naquilo que é o pior que já se pode inventar: as ditaduras, políticas ou não. Assim que o livro for publicado, escrevo algo aqui sobre ele.

Por motivos óbvios, a gente dá nome apenas aos bois premiados. Aos incompetentes é melhor o anonimato. Pois quem pode, fica. Quem não pode, logo tomba. Assim espero…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *