[Sobre mim]

Foto de Janine Messerli

Nasci no propício Dia Nacional do Livro, 29 de outubro, o que explica muita coisa da minha trajetória profissional.

Desde 1998 no mercado editorial, no início atuando como preparador e revisor freelancer, e desde 2000 também trabalhando com revisões e traduções técnicas e jurídico-comerciais. Em 2006, comecei a traduzir obras de ficção e não ficção para editoras.

Presto serviços de tradução e leitura crítica de ficção e não ficção em inglês e alemão para grupos editoriais e editoras; entre meus clientes estão selos do Grupo Companhia das Letras (Portfolio Penguin, Alfaguara, Suma de Letras), do Grupo Record (Record, Verus, Bertrand do Brasil), do Grupo Autêntica (Gutenberg), do Grupo Ediouro (Nova Fronteira, Agir, Ediouro), bem com as editoras Aleph, DarkSide Books, Editora Globo/Globo Alt, HarperCollins BrasilRádio LondresL&PM, LeYa–Casa da Palavra, Tordesilhas–Alaúde, Intrínseca, Sextante, Estação Liberdade, UNESP, entre outras.

Em 2014, ingressei como sócio-tradutor na Roxo-Forte Produções Editoriais um grupo de profissionais competentes e de alto nível que prestam serviços a diversas editoras, agências de publicidade e empresas.

Sou membro da Abrates – Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes, atuando ativamente em eventos da associação, inclusive como editor-chefe de sua revista bimestral, a Metáfrase.

Para saber mais, acesse [Currículo] no menu acima. Para um portfólio completo das traduções já publicadas, acesse [Traduções].

Como escritor, participei das antologias Blablablogue – Crônicas e Confissões e Todos os portais: realidades expandidas, organizadas por Nelson de Oliveira, e Assim você me mata, organizada por Claudio Brites (Terracota Editora).

Em 2012, lancei meu primeiro romance, Réquiem: sonhos proibidos (Terracota), distopia sobre um futuro aparentemente perfeito em que a última “novidade” imposta pelo Governo Mundial é um remédio capaz de suprimir o sonho das pessoas.

Publico resenhas semanais sobre livros e textos sobre literatura traduzida no portal cultural curitibano A Escotilha.

Por três anos, mantive o blog Ponte de Letras com Carolina Caires Coelho, Débora Guimarães Isidoro e Flávia Souto Maior, três queridas amigas e tradutoras. E temos planos de voltar à ativa em 2018.

Também participei, no ano de 2014, do blog Quotidianos – pequenas histórias fantásticas, escrevendo contos de fantasia e afins, todos republicados aqui, no blog.

Réquiem: sonhos proibidos está à venda em livro físico e e-book no site da editora Terracota (clique aqui) e também:

 

Fui ministrante da oficina de tradução literária inglês-português na Oficina de Escrita Criativa por dois anos e meio, até o fechamento da escola, com 5 turmas semestrais durante esse período, uma experiência excelente de tradução in loco e junção de teoria e prática. Também ministro aulas em cursos livres de criação literária, redação e criatividade desde 2012 no Centro Universitário Belas Artes (inscrições abertas o ano todo).

Entre os eventos em que ministrei palestras ou participei de mesas-redondas e discussões, destaco:

  • Mesa-redonda “Tradução: colaborações e embates”, com Ibraíma Dafonte Tavares e Jiro Takahashi, com mediação de André Conti, no Congresso Internacional da Abrates, em São Paulo, 2017;
  • Painel Traducción y recepción: miradas desde Europa y Latinoamérica, nas III Jornadas de Traducción da AATI (Asociación Argentina de Traducción e Interpretación), em 2016;
  • Congresso da ABRATES em 2013 (Belo Horizonte), 2014 e 2016 (Rio de Janeiro), 2015 e 2017  (São Paulo);
  • Mesa-redonda e painel na Odisseia de Literatura Fantástica, falando sobre literatura e tradução;
  • Palestras nas três edições do Café com Tradução, eventos sobre tradução realizados em São Paulo e Rio de Janeiro.

Para saber mais dos cursos livres no Centro Universitário Belas Artes, acesse a página [Cursos]  no menu.