A carinha do livro e a fermata

No sábado foi o lançamento do Marcelo Maluf, lá no Espaço Terracota. O livro dele está o máximo, o lançamento foi lindo e animado, com pessoas queridas e gente interessante.

Claro, lá encontrei o Claudio, o editor da Terracota, que me mostrou uma prévia de como ficará o Réquiem. Com seu Kindle na mão, me mostrou o teste de e-book. Ficou bem lindão, mas faltam uns ajustes ainda para ficar do jeitinho que imaginamos. Pois em dois capítulos há um símbolo que achei bonito e depois fui pesquisar seu significado. E caiu como uma luva:

Fermata em italiano, significa parada. Trata-se de um sinal colocado sobre a nota ou pausa, indicando que devemos sustentá-la em aproximadamente o dobro do seu valor, embora na maior parte das vezes essa duração fique a critério do intérprete.

A Fermata também pode ser colocada sobre a barra de compasso, indicando uma pequena interrupção entre um compasso e outro.

(Fonte: Wikipedia)

No livro, esse sinal indica uma pausa na realidade. Ou no sonho. E a entrada no sonho. Ou na realidade. Fui procurar seu significado, pois precisava mandar para o Claudio esse símbolo para que ele aplicasse no livro. E fiquei muito feliz que minha escolha intuitivas (Olha, que bonito esse símbolo, vou usar) significa essa pausa na música.

Coisas da literatura…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *