40 minutos

lost in translation

Quarenta minutos para terminar o dia do tradutor e não escrevi nada sobre a data. Nem uma linha inteira que valesse a pena, nem cheguei a 140 caracteres. Desde que abracei a profissão tem sido assim: dia de tradutor é mais um dia de trabalho, mais um dia para resolver a vida. Mas hoje tive um prazer que nunca antes experimentara: passei o dia do tradutor do jeito que quis, com pessoas queridas e um pouco sozinho, com estranhos em vários cantos do mundo numa conferência virtual e, também virtualmente, com outras pessoas que em tão pouco tempo ocuparam um grande espaço na minha vida.

Todos tradutores, diga-se de passagem.

Por isso, nesses últimos quarenta minutos que encerrarão mais um dia 30 de setembro, desejo de verdade e sem titubear que todos fechem seu dia felizes pela profissão que escolheram ou na qual estão prestes a entrar. Como disse uma amiga hoje, ali no Twitter: parabéns pela difícil arte da tradução. Porque é uma arte.

Grande abraço a todos!

Imagem: George Stavrinos, Flickr

1 Comentário 40 minutos

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *