Tudo novo de novo…

“Vamos começar/colocando um ponto final…”

Um cantor e compositor que gosto muito, Paulinho Moska, fez a música que dá título a este post e a primeira frase da canção é esta. Sempre gostei muito dessa música, inclusive imaginei diversas vezes roteiros para o clipe da tal música, como seria e afins. No entanto, nunca pensei que ela fosse me falar tanto como hoje, quando coloco um ponto final numa vida e recomeço outra, depois de muito lutar para prolongar uma f(r)ase de pelo menos 11 anos. Muito aprendi, muito compartilhei, mas chega uma hora na qual o fôlego acaba e o derradeiro é inevitável. Chega de vírgulas, partamos enfim para um novo período.
Que ainda é estranho. Coberto de uma névoa espessa, mas que aos poucos se desvanece. Hoje andei a esmo, pelo simples prazer de fazê-lo. Há muito não tinha vontade nem tempo para isso, afogado numa vida estranha, muito clara e asséptica, cheia de certezas que, no fundo, eram mais incertas que minha caminhada sem rumo. Hoje, na incerteza, estou muito mais seguro. Viver um paradoxo, que seja um por vez, não deixa de ser saudável.
Tantas metáforas às vezes deixam as pessoas preocupadas, mas não tem motivo. Melhor eu não poderia estar depois de uma semana de liberdade de amarras que eu mesmo me coloquei, por isso minha responsabilidade era desatá-las. O que não teve e não tem preço.

PS.: A quem interessar possa, este post refere-se à minha vida profissional apenas. O que não é pouco…

2 Comentários Tudo novo de novo…

  1. Joanita Haimerl 29 de Maio de 2011 at 17:51

    Olá querido Peterso,
    quer dizer que você tirou umas férias?? Como sempre, torço por você.
    bjo. Joanita

    Responder
    1. Petê Rissatti 29 de Maio de 2011 at 17:54

      Na verdade, agora as férias foram definitivas. Férias não-férias, por assim dizer.

      Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *