Dicionário de deixar doido

Não sei se já comentei aqui, mas se já, comento novamente. Todo mundo já procurou aquela palavrinha mardita e teve uma grande dificuldade em encontrá-la. Tinha uma palavra que passava mais ou menos o que você deseja falar, mas sabe que existe uma bem melhor para bater o martelo.

Acho que o Dicionário Analógico da Língua Portuguesa (Ideias Afins/Thesaurus), de Franciso Ferreira dos Santos Azevedo (Ed. Lexikon) pode resolver esse probleminha vocabular.

Este dicionário é dividido por temas e, como seu subtítulo diz, ideias afins e no seu início apresenta um quadro sinóptico das categorias, que são muitas, como Memória, Ação, Sobriedade, Gestão e por aí vai, que levam a números que trarão palavras que tem afinidade com esses temas. E as referências cruzam-se quase indefinidamente e por isso digo que é um dicionário de deixar doido: você encontra uma palavra e, se realmente for apaixonado por elas, verá outra, e mais uma que tenha relação, numa imensa rede que deixa a gente mais seguro ao passear pelas letras.

Não apenas para trabalhadores do texto, mas para quem deseja ampliar e melhorar seu vocabulário, esse dicionário é uma preciosidade. Já tem um tempinho de lançado (junho de 2010), mas, para muito (pelo que percebi) ainda é uma novidade. Vale a pena!

6 Comentários Dicionário de deixar doido

  1. Danielle Sales 14 de março de 2011 at 10:10

    Ai, eu quero um! Gostei do post, Petê!

    Responder
    1. Petê Rissatti 17 de março de 2011 at 09:34

      É Dani, deixa doidinho a gente esse dicionário. Aliás, conversando com Marcelino Freire num curso que estou fazendo com ele, fiquei sabendo que este dicionário estava esgotadíssimo e que o preço dele nos sebos por aí variavam de 150 a 400 reais, dependendo do estado. Agora, por 60 dá pra levar a obra pra casa, então é preciso aproveitar antes que esgote novamente. Beijão.

      Responder
  2. Roseli 14 de março de 2011 at 16:18

    Mas parece que não fizeram on-line ou em CD-ROM, não é?
    Uma pena, um passo atrás.
    Não consigo imaginar dicionário só de papel, hoje em dia.
    Roseli

    Responder
    1. Petê Rissatti 17 de março de 2011 at 10:52

      Uma pena mesmo, Roseli. Mas ainda assim o dicionário é supimpa.
      Beijo

      Responder
  3. Laura Fuentes 25 de março de 2011 at 16:26

    O Dicionário de Sinônimos e Antônimos do Houaiss atenderia essa necessidade?

    Responder
    1. Petê Rissatti 25 de março de 2011 at 16:50

      Na verdade, Laura, são dicionários muito diferentes. Este do Francisco Ferreira é um dicionário de ideias afins, não apenas de sinônimos e antônimos. É um thesaurus, não dividido alfabeticamente, mas por categorias definidas. Uma coisa de doido mesmo, te mostro depois.

      Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *