Cada vez mais fácil

(Hug, Joan Hutscheson)

Ao seu lado vejo como é mais fácil… cada vez mais fácil.
Dormir é mais fácil, sozinho com som baixinho, com você ouvindo o ressonar macio.
Levantar é mais fácil para a labuta ou para mais um beijinho.
Escolher uma roupa, seja para trabalhar ou lhe ver, fácil.

Sair de casa, enfrentar chuva, vento, frio… fácil.

Difícil é chegar e sentir a casa um deserto sem oásis.
É o frio do banho sem teu corpo.
É o filme sem seus olhos atentos à tela.
É a música, sem seu cantarolar baixinho e afinado.
É saber que horas ainda nos separam.

Entre o fácil e o difícil? Escolho você.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *