Queria…

Queria ter de novo o gosto da felicidade em meus lábios. Saber que a manhã surgiria bela como a noite deitaria seu manto num sorriso gentil.

Queria tecer de novo planos e projetos, olhar para frente e ver sua sombra junto à minha.

Queria poder abraçar e sentir seus braços me envolvendo com medo juvenil.

Mas hoje vejo que meu querer se acabou. Meu sonho se desvaneceu, como névoa fraca em torno da montanha.

E agora me resta uma estrada. Um longa estrada, ainda empoeirada, ainda vazia.

Com poucos rostos, com muitos corpos.

E logo surgirá alguém.

Para eu querer de novo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *